União conjugal: Em qual ciclo do amor você está? Descubra
Ciclos Amor EvolutivoRelação Amorosa

União conjugal: Em qual ciclo do amor você está?

Por setembro 19, 2017 Sem comentários
Conheça sobre os 4 ciclos do amor evolutivo e descubra como ir para o próximo nívelOs 2 primeiros ciclos todo mundo conhece e passa por eles naturalmente conforme a relação vai ficando mais íntima.
Mas… A maioria das pessoas não têm consciência dos últimos ciclos.
De modo geral, isso é o principal motivo para a infelicidade, tédio e a relação ficar empacada naqueles velhos problemas e “DRs“… E você sabe como isso suga nossa energia e felicidade, não é? Geralmente os relacionamentos empacam no 3º ciclo, então:

Se você entender e agir para evoluir no 3º e 4º ciclo, você vai ter vantagem sobre a maioria dos casais e a evolução do seu amor é garantida…

Vou te falar sobre as principais características e desafios de cada ciclo, dando dicas de como superá-los…

Além de um período médio da relação em que cada ciclo ocorre , o que varia muito, pois o tempo de avanço de cada ciclo depende do quanto o casal ele se dedica em evoluir, tanto como indivíduos e também a relação.

Para descobrir como avançar e ir para o próximo nível na sua relação, prossiga na leitura.

União conjugal: Em qual ciclo do amor você está?

Ciclo 1: Atração e Aproximação na união conjugal

Período da Relação: 0 a 3 meses.

Esse ciclo todo mundo conhece bem, é onde a atração e interesse pelo outro inicia, podendo acontecer de diversas formas e por diversos fatores.

O que não é tão bem conhecido é que nosso inconsciente exerce um papel muito importante na atração e interesse por alguém.

Desse modo, com toda nossa bagagem emocional da infância e relacionamentos com pessoas do gênero que nos atraímos, principalmente o pai/mãe.

Na prática, isso determina bastante por qual tipo de pessoa costumamos nos atrair, e isso tem um objetivo que no 3º ciclo fica mais claro.

Resumindo, esse ciclo é o surgimento da paixão e onde a tendência é se esforçar ao máximo para agradar o outro.

Nesse ciclo, as pessoas tentam mostrar seu melhor lado e a atenção seletiva trata de ignorar os pontos conflitantes e aspectos que considera negativo no outro.

Tudo isso para criar uma ligação e incentivar a aproximação, começando a criar os laços e vínculos emocionais.

O desafio desse ciclo?

Ser autêntico e mostrar ao outro quem você é e seus valores, pois se a pessoa não te aceita como você é, não vale a pena que a relação vá para o próximo nível.

Ciclo 2: Estabelecimento e Solidificação

Período da Relação: 3 a 12 meses.

Quando o casal já está com a relação mais estabelecida, o conhecimento superficial do outro começa a ser insuficiente.

Então, naturalmente a relação começa a desenvolver movimentos de buscar conhecer o outro mais profundamente e aumentar o tempo de convivência.

Nessa fase, geralmente os casais oficializam o namoro, se comprometendo a um relacionamento sério ou definem o contrato social que a relação irá seguir.

Mas o que importa não são os rótulos, e sim a mudança e a evolução da intimidade e sincronia no relacionamento.

A névoa de idealização e atenção seletiva continua a funcionar nesse ciclo, buscando apoiar o aprofundamento da relação para evitar que problemas profundos surjam e o relacionamento rompa, antes que o vínculo, entrega e intimidade saiam do nível superficial, criando raízes mais profundas e sólidas.

Nesse ciclo, alguns pequenos detalhes que antes passavam despercebidos, agora começam a ser questionados.

Assim, as combinações explícitas e implícitas de como será o funcionamento da relação começam a serem acertadas.

Se nesse momento não houver um acordo, a relação não passa desse ciclo e se rompe naturalmente.

Por isso, nesse momento é importante que o casal seja transparente e comunique para o outro o que espera da relação.

Se vai continuar casual/superficial ou se as duas partes estão dispostas a investir na continuidade e crescimento da relação.

O desafio desse ciclo é delimitar as fronteiras e espaços da relação, respeitando a velocidade e a evolução do amor de cada um.

Já foram 2 ciclos

O texto está longo, não é?

Mas garanto, vale a pena continuar lendo…

Pois agora vamos para os  ciclos mais importantes e desafiadores do amor, e adquirindo essa nova mentalidade e agindo para resolver os desafios, sua felicidade no amor é garantida!

Ciclo 3: Aprofundamento e Quebra de Ilusões

Período da Relação: 1 a 5 anos.

Nesse momento, o relacionamento pode experimentar uma quebra da idealização da relação em menor ou maior nível, de acordo com a maturidade e o grau de idealização do parceiro.

Começam a acontecer mais reclamações das atitudes do parceiro.

Então a dinâmica inicial começa pouco a pouco a ser quebrada, sendo muito comum a comunicação de frases como:

  •  “você relaxou na relação”;
  • “você mudou”;
  • “não é mais o mesmo”;
  • “deixou de me amar”.

As reclamações podem se tornar rotina, pois a névoa que a idealização cria no início da relação está desaparecendo, deixando as pessoas mais conscientes dos pontos negativos do outro e da relação.

As pessoas começam a perder a base que sustenta a relação e a paixão, que é a admiração e gratidão.

De modo geral, as pessoas que tem muita necessidade de aceitação e são dependentes de validação e da imagem que os outros têm delas começam a ter dificuldades nesse ciclo.

Suas máscaras começam a ser derrubadas pelo parceiro e pela nova fase do relacionamento.

Para o relacionamento continuar seu curso de evolução, é preciso sinceridade e transparência, é o momento onde cada um precisa se permitir ser o que é realmente, se descobrindo e liberando o outro para ele ser ele mesmo também.

Busque focar no que você precisa mudar e evoluir.

Somente você tomando a iniciativa das mudanças fará com que seu parceiro se motive também a fazer ou mesmo.

Caso ele se recuse a te acompanhar é o momento de parar para refletir se o ciclo dessa relação chegou ao fim ou é só uma crise para um novo início em um nível superior.

Os dois precisam evoluir e se trabalhar para que a relação comporte essa nova fase do amor.

Desafios do 3º ciclo:

Os maiores desafios são os conflitos que vão aparecendo devido às feridas emocionais, bloqueios inconscientes e o lado sombra que começam a vir à tona para serem curados e integrados.

É justamente por esse motivo que o relacionamento amoroso é um dos caminhos mais rápidos de autoconhecimento e evolução.

Não há nenhuma outra forma de nossas sombras e pontos cegos serem ativados tão intensamente a ponto de nos dar uma grande motivação para tomar atitudes, refletir e fazer algo a respeito.

Na consciência de relacionamento da “velha era”, as pessoas estavam acostumadas a resistir e não assumir a responsabilidade pelos desafios que surgiam na relação, sempre colocando a culpa no parceiro ou em algo fora de si.

Essa é uma atitude imatura que cria ciclos viciosos sem fim, onde a pessoa fica presa, sempre repetindo os mesmos dramas, até que alguém do casal resolva tenha a iniciativa de assumir a responsabilidade pela sua parte dos problemas.

Quando isso não ocorre, são criados ciclos intermináveis de jogos de “agressor x vítima”, que criam abismos emocionais entre o casal.

Esse tipo de conflito impede o amor de continuar seu curso de cura e evolução enquanto o casal não iniciar o processo de autoconhecimento e cura emocional.

O divisor de águas

Essa etapa é um divisor de águas que muitos casais não conseguem ultrapassar.

sse ciclo exige autorreflexão, amadurecimento e mudanças, onde a busca do autoconhecimento se torna indispensável.

É justamente esse ciclo que indica com mais solidez se a relação poderá seguir adiante e continuar crescendo.

Do contrário, as pessoas geralmente vão procurar uma desculpa qualquer para fugir por não conseguir manter um relacionamento com profundidade, transparência e autenticidade.

Quem foge da responsabilidade de se curar começa a esbarrar na autossabotagem, o que impede a evolução da relação e do amor.

Pois existe uma lei no universo onde tudo aquilo que não consegue mais evoluir e subir para um nível mais elevado acaba terminando e chegando ao fim por si só.

Até a pessoa chegar no 3º ciclo em algum relacionamento, os bloqueios e as partes imaturas da personalidade e comportamento ficam ocultos, pois são manifestados de forma inconsciente e disfarçada, sem a pessoa perceber…

Esse é um dos motivos para que algumas pessoas fujam de relacionamentos profundos.

Pois ficar apenas com relacionamento superficiais evita que ela precise ter contato com suas sombras, defeitos e suas emoções mais profundas que possuem conteúdos ocultos e escondidos esperando para serem revisitados e resolvidos.

Busque identificar e liberar esses bloqueios ocultos.

Essa iniciativa não é só recomendável como é essencial e determinante para poder liberar energia e todo potencial do seu ser, bem como alcançar um amor integral saudável e a prosperidade na vida como um todo.

Se eu pudesse dar apenas um conselho pra não ficar preso nesse ciclo, esse conselho seria:

Todo casal precisa investir em desenvolvimento pessoal, terapia e autoconhecimento, se quer ter uma relação amorosa verdadeiramente bem sucedida sempre em evolução, evitando que ela seja devorada pelos conflitos ou pelo tédio.

Existe uma relação direta entre o nível de intimidade, autenticidade, entrega da pessoa na relação e a saúde emocional e o quanto ela vive da sua essência verdadeira.

Ciclo 4: Espiral Evolutiva Superior

Período da Relação: 5 anos a ∞

O quarto ciclo é o mais variado e individual.

ciclo único e diferente para cada casal, pois depende de muitos fatores como missões, valores, sonhos e crenças de cada um.

Nessa fase,  o casal já alcançou um patamar bem elevado de estabilidade e integridade no amor.

Além disso, outro pré-requisito é que as questões básicas de sobrevivência, financeiras e emocionais de cada um já estejam resolvidas em grande parte ou totalmente.

Mas..

Nesse ciclo ainda podem despertar novamente situações que pareciam já estarem resolvidas para uma revisão mais profunda e atualizada, dando um passeio novamente no ciclo 3…

A partir da chegada do quarto ciclo, o casal pode vivenciar características de qualquer um dos ciclos anteriores, sempre em espiral evolutiva crescente.

Fique atento e mantenha sempre em mente e no coração que a função principal do amor além de ser uma fonte de êxtase e inspiração é impulsionar evolução do ser humano, que é infinita.

Ao manter essa visão e leveza no coração, as situações se resolvem de maneira muito mais fácil e rápida, sem sofrimentos desnecessários prolongados.

Na nova consciência humana da nova era, o quarto ciclo é o momento em que o casal começa a ficar apto a fazer a diferença no mundo e ajudar na evolução da humanidade.

Isso é uma coisa mágica e incrível!

É impossível sentir tédio numa relação onde o amor de duas pessoas está servindo de inspiração para um propósito maior de servir ao mundo.

É nesse momento que uma das coisas mais incríveis pode acontecer:

O casal encontra sua missão de vida para servir a humanidade juntos!

É a oportunidade do casal se realizar e oferecer suas contribuições únicas ao mundo unindo os melhores talentos da cada um.

Desafios do 4º ciclo

Questões profundas emocionais e espirituais podem surgir, e se você vive no paradigma de vida após a morte, é bem provável que questões cármicas de vidas passadas que envolvam seu companheiro possam surgir para serem resgatadas e resolvidas, seja de forma inconsciente ou consciente.

Essa questão é significativa, e eu falo por experiência própria.

Houve um momento na minha relação em que ocorreu uma grande crise que causou bastante dor e conflitos por um tempo…

Somente sustentando a consciência de que tinha algo para ser resolvido através dessa crise que possibilitou e permitiu utilizar a psicoterapia corporal e a meditação para superar os conflitos que eram causados por questões mal resolvidas de vidas passadas…

A consciência da função das crises é tão importante que vou reforçar mais uma vez, mantenha sempre em mente e no coração:

Toda crise está apontando que existe algo em nós que precisa ser modificado para o amor continuar evoluindo.

Isso torna a crise um processo positivo, mesmo que seja desconfortável no momento em que ela está ocorrendo.

Aprenda a amar as tempestades e se sentirá grato em qualquer situação, pois só com essa consciência é possível extrair as dádivas de todos os momentos da vida.

Concluindo…

No amor não existem regras fixas e nem fórmulas, essa divisão em 4 ciclos é didática, pois na realidade os ciclos se misturam e a pessoa pode alternar rapidamente entre um ciclo e outro.

A maneira de construir esses 4 ciclos do paradigma do Amor Evolutivo foi baseada na minha experiência no meu relacionamento, além de estudo e observações de relacionamento de outras pessoas e meus clientes de coaching e psicoterapia corporal…

Para finalizar, vou deixar uma reflexão, se o amor fosse dar em uma única mensagem o segredo para usufruir dele, qual mensagem seria? Tenho certeza que seria algo assim:

Evolua, mude, e flexibilize-se, ou não conseguirá se expandir para receber, vivenciar e sustentar o amor plenamente.

Você está preparado para permitir que o amor te transforme e abra espaço em seu coração para continuar a crescer dentro de ti?

Esse é o chamado do Amor Evolutivo.

Esse é o seu chamado, o momento de vivenciar o amor por inteiro e evoluir como ser humano é sempre AGORA, pois o passado não pode ser mudado e o futuro não existe ainda, ele só chega através de um novo agora.

Gratidão e Amor sempre!

Silvano Ozyrys

 
Deixe aqui seus comentários, sua opinião é muito importante:
Silvano Ozyrys

Autor Silvano Ozyrys

Escritor, MasterCoach, Psicoterapeuta Corporal e Graduando em Psicologia, Lançou seu primeiro livro “Amor Evolutivo – Expansão da Consciência do Amor na Nova Era” em 2017. Silvano Ozyrys é um entusiasta pelo desenvolvimento pessoal e evolução espiritual humana, tem formação em diversas técnicas de coaching, terapia, autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, buscando sempre abordagens integrais e holísticas.

Mais posts de Silvano Ozyrys