Afinal, quais os segredos por trás de um bom relacionamento? Descubra
Relação Amorosa

Afinal, quais os segredos por trás de um bom relacionamento? Descubra

Por outubro 3, 2018 One Comment

Afinal, quais os segredos por trás de um bom relacionamento? Descubra

O que define um bom relacionamento? Quais são os hábitos que um casal deve ter para que a relação seja considerada equilibrada e saudável?

Bem, isso é o que a The Open University foi tentar descobrir em uma pesquisa que teve como objeto de estudo o comportamento de 50 casais.

Esse projeto, chamado de The Enduring Love? foi difundido por todo o mundo e eu achei interessante, pois contribui com tudo o que eu tenho desenvolvido ao redor do Amor Evolutivo.

Quer conferir o resultado desse estudo incrível?

Então não deixe de ler esse texto até o final.

O modus operandis do bom relacionamento

Além do projeto, o estudo mencionado acima, sobre as bases para um bom relacionamento, foi transformado em livro e pode ser encontrado com o título “The Secrets of Enduring Love: How to make relationships last”, disponível somente em inglês.

Segundo as autoras do projeto e do livro, até a realização da pesquisa, os conselhos para se manter um bom relacionamento eram pouco pautados em experiências reais.

Isso era um indício de achismos e prejudicava a percepção de como manter um bom relacionamento.

Por isso, o projeto procurou se centrar na vivência do cotidiano dos casais entrevistados para poder estar embasado em narrativas consistentes.

O que me deixou muito contente é que o resultado do estudo possui muita semelhança com a psicologia do amor evolutivo para a harmonia conjugal.

Em primeiro lugar, o estudo revelou um ponto bem interessante e com certeza vai deixar você surpreso.

Como parte essencial da relação amorosa, o sexo não apareceu como um fator.

Então quais os ingredientes para uma boa união conjugal?

quais-os-segredos-por-trás-de-um-bom-relacionamento

Bem, vejamos o que a pesquisa revelou como elementos fundamentais para relações duradouras:

  • Risadas;
  • Valores e interesses em comum;
  • Exercício da amizade;
  • Demonstração de cuidado e apoio;
  • Segurança;
  • Momentos felizes;
  • Confiança;
  • Proximidade;
  • Falar e ouvir;
  • Admiração.

A partir de agora, que convidar você a pensar sobre cada um deles, sob a perspectiva do amor evolutivo. Topa? Então me acompanhe.

1. Risadas

Diz o provérbio popular que rir é o melhor remédio e no caso de um relacionamento duradouro, ele é um remédio ainda mais eficiente.

2. Compartilhamento de valores e interesses em comum

O mundo está cheio de armadilhas que pegam facilmente os desavisados que não têm seus objetivos e valores bem definidos.

O que acontece é que sem perceber, muitos seguem a manada e acreditam em promessas de felicidade ilusórias.

São condicionados a uma padronização e robotização das relações e da vida, buscando uma felicidade futura ilusória que nunca chega, pagando o alto preço de se afastar da sua verdadeira essência.

Os relacionamentos não são como produtos que devem atender nossas expectativas.

Ao pensar assim, o único resultado possível é a frustração, o vazio e a solidão.

Ao esconder os seus valores e preferências para conquistar um parceiro, a relação já começou completamente errada e a chance de dar certo a longo prazo são mínimas.

Muitas pessoas criam e mantêm valores e preferências por influência da família, amigos e da sociedade, isso forma uma personalidade falsa com o objetivo de ter vantagens sociais e aceitação nos grupos, fuja dessa domesticação que te aliena de si mesmo, da sua essência verdadeira e identidade.

Aprenda a dizer não e desapegue da opinião de pessoas que são totalmente incompatíveis contigo e que tem valores e atitudes conflitantes com o que você quer na sua vida.

Ao fazer isso, você descobre o que de fato não quer em sua vida e num relacionamento, esse processo te dá autoconhecimento e permite que você seja cada vez mais você, descobrindo as preferências, atitudes e valores que você realmente quer para si e para a vida.

3. Exercício da amizade

Com certeza, a amizade é a aliança defensora do amor

Esse item é praticamente uma consequência da reciprocidade.

Para o amor crescer, é preciso que ambos sejam os melhores amigos um do outro, companheiros de todos os momentos e situações.

Quando se cria essa aliança no relacionamento, o casal pode contar sempre que vão enfrentar qualquer desafio juntos, um vai ser sempre o maior incentivador e defensor do outro.

Para isso, a comunicação do casal deve ser aberta e um sempre deve reservar um tempo para ouvir com atenção e seriedade o que o outro precisa falar.

Tente sempre valorizar os sentimentos e necessidades do parceiro.

4. Demonstração de cuidado e apoio

O relacionamento deve ser alimentado e cuidado todos os dias de nossas vidas.

Quando gestos e declarações, como “eu te amo”, se tornam mecânicos, sem força emocional e presença, significa que o casal está no piloto automático.

Isso é muito ruim para a vida amorosa do casal, haja vista que o amor é algo que deve ser natural, dotado de muita espontaneidade.

Quando o relacionamento se torna automático, ele fica sem vida, sem brilho e algo deve ser feito com urgência, antes que seja tarde demais.

Agradecer pelo ato de carinho do parceiro é reconhecer e retribuir a energia que está recebendo, fazendo com que o amor continue fluindo e aumentando cada vez mais.

5. Segurança

Não existe nada que causa mais ciúme, insegurança e ressentimento no relacionamento do que você fazer avaliações de corpos físicos com foco sexual na presença do seu parceiro.

Por mais que ele possa fingir que não se incomoda e não dizer nada, não significa que essas atitudes não estão criando e alimentando ressentimento e mágoa.

Com certeza, em algum momento isso vai acabar retornando a você, aumentando o peso e a intensidade de outras discussões e brigas.

Outro problema é que isso pode acabar afastando o casal.

Além disso, explosões e reações exageradas em pequenas coisas podem ter sido criadas pela soma de todas as outras frustrações e mágoas que foram sendo acumuladas.

No caso da segurança, o problema também pode ser mais profundo.

Nesse caso, a dica é trabalhar terapeuticamente para investigar e resolver problemas emocionais que causam a baixa autoestima, insegurança e excesso de ciúmes.

Nesse caminho evolutivo, as relações geralmente são um pouco mais bem-sucedidas, porque a pessoa pode estar com suas questões de sobrevivência e segurança mais resolvidas.

Por estar com as questões básicas mais resolvidas, já sobra mais energia da essência para o investimento no amor, só que a pessoa que está nesse caminho geralmente não conta com ferramentas mais efetivas de resolver os problemas mais profundos.

O que acontece é que pode ficar preso na posição de impotência, lutando em vão contra a parte mais superficial dos problemas nos relacionamentos.

Enquanto isso, as verdadeiras causas continuam ocultas e sabotando a plenitude maior do amor, limitando a felicidade no amor como se fosse um termostato que nunca supera um certo nível.

6. Momentos felizes

Casais de sucesso gostam de fazer coisas juntos.

Desfrute de viagens, jantares, passeios, surpresas, etc.

7. Confiança

A confiança é essencial para driblar o maior vilão do amor, que é o medo.

Além disso, o casal deve se tornar uma unidade, onde os dois enxergam o companheiro como um grande aliado, mantendo a confiança que juntos é possível resolver qualquer crise.

Essa intenção firme de resolver tudo que possa criar barreiras e te afastar emocionalmente do seu parceiro é essencial para evitar a deterioração do vínculo de entrega e confiança que alimenta a relação.

Outro ponto importante de destacar é que nas relações com alto nível de confiança, as pessoas são mais transparentes e autênticas.

Se a confiança não for mantida, a relação não prosperará.

Por outro lado, Investir em uma relação sem a base da confiança é desperdício de tempo e energia.

Pois não é possível se entregar para alguém quando seu lado emocional e instintivo pensa que a pessoa pode a qualquer momento te magoar ou prejudicar.

Mesmo assim, algumas pessoas se lamentam dizendo que não existem pessoas confiáveis para se relacionar, nesse caso é preciso ficar alerta.

Se a pessoa só atrai situações de mentira, traição e falta de confiança, então talvez o problema não seja externo.

Casos em que o padrão de experiência que gera desconfiança se repete, será preciso que a própria pessoa busque no seu passado e resolva as situações que são as raízes do padrão de repetição.

8. Proximidade

A vida amorosa só começa verdadeiramente após o casal assumir uma entrega baseada na intimidade mais profunda.

Os pequenos casos e aventuras sexuais são apenas nossos treinamentos para experimentar e nos preparar para níveis de amor mais elevados.

Os casais comuns se relacionam sempre na defensiva.

Eles pensam no relacionamento apenas como um meio de terem suas necessidades e exigências satisfeitas.

Quando isso não acontece, o relacionamento é automaticamente considerado insatisfatório.

Nesse sentido, casamentos são desfeitos em questão de meses ou poucos anos nas primeiras crises mais profundas que exigem reflexão e mudanças.

Nesse padrão, o ser humano nunca vai alcançar a felicidade nos relacionamentos.

De modo geral, esse amor superficial e egoísta faz parte do desenvolvimento emocional da fase da adolescência.

Porém, o que acontece na prática é que pessoas com mais de 40 anos ainda se relacionam com mentalidade de adolescente.

Isso não tem como dar certo!

Quanto mais profundo o amor se torna, mais ele irá penetrar nas camadas mais profundas e inconscientes.

Assim, a relação traz sentimentos e situações que precisam ser resolvidas para o amor continuar crescendo e se tornar mais íntegro.

Existe uma relação direta entre o nível de intimidade, de autenticidade e entrega de alguém na relação com sua saúde emocional e o quanto ela vive da sua essência verdadeira.

9. Falar e ouvir

Para isso, a comunicação do casal deve ser aberta e um sempre deve reservar um tempo para ouvir com atenção e seriedade o que o outro precisa falar e valorizar seus sentimentos e necessidades.

Para trabalhar a cumplicidade, converse com seu companheiro e discuta sobre o que cada um sente.

Isso é fundamental para formar essa aliança defensora do amor, que incentivos, necessidades e atitudes cada um espera do outro para criar essa cumplicidade.

10. Admiração

A admiração e gratidão são os fatores que os casais felizes e unidos possuem em comum.

Quando não há admiração, a tendência é não aceitar a individualidade do outro.

Desse modo, as críticas rotineiras corroem o amor como ácido, e a gratidão é praticamente inexistente.

Por isso, procure sempre enxergar o Ser Divino que seu companheiro é.

Com base nisso, incentive o potencial que ele tem de evoluir como ser humano.

Seja também um motivador que busca invocar sempre a melhor versão do seu parceiro.

Lembre-se que a aceitação e o amor incondicional criam o espaço que o amor precisa para expandir.

Assim o casal cresce e evolui junto.

Além disso, sinta-se honrado por compartilhar a vida com seu parceiro.

Afinal, de uma infinidade de opções ele escolheu compartilhar a vida com você, sempre valorize isso.

Não se esqueça que sem admiração e gratidão, o fluxo do amor é interrompido.

Na prática, isso faz com que a negatividade e insatisfação tomem conta.

Isso cria uma barreira emocional intransponível que em pouco tempo acaba com o amor.

Para concluir

Tudo isso que a pesquisa revelou e eu complementei de acordo com a perspectiva do amor evolutivo também podem ser dicas de como melhorar o relacionamento, se por acaso estiver passando por um período de crise no relacionamento.

Por último, gostaria de dizer que a psicologia do Amor Evolutivo realmente é uma ferramenta poderosa para quem está interessado em iniciar uma jornada no autoconhecimento.

Quer saber como? Então faça o download da 1ª parte do livro “Amor Evolutivo – Expansão da Consciência do Amor na Nova Era”.

Gratidão e Amor sempre!

Silvano Ozyrys

 

Deixe aqui seus comentários, sua opinião é muito importante:
Silvano Ozyrys

Autor Silvano Ozyrys

Escritor, MasterCoach, Psicoterapeuta Corporal e Graduando em Psicologia, Lançou seu primeiro livro “Amor Evolutivo – Expansão da Consciência do Amor na Nova Era” em 2017. Silvano Ozyrys é um entusiasta pelo desenvolvimento pessoal e evolução espiritual humana, tem formação em diversas técnicas de coaching, terapia, autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, buscando sempre abordagens integrais e holísticas.

Mais posts de Silvano Ozyrys

Join the discussion Um comentário