Dicas PráticasListas

Ciúme: aprenda a lidar com esse sentimento negativo em 5 passos

Por dezembro 24, 2017 Sem comentários

O ciúme é um sentimento absolutamente normal. A questão é o grau de atuação desse ciúme dentro de uma relação. Todos aqueles que amam ou já amaram alguém, certamente já experimentaram alguma manifestação desse comportamento.

Inclusive, a pessoa que é alvo do ciúme sente-se, até certo ponto, lisonjeada por conta dessa atitude – desde que seja um ciúme leve, é claro. Pois significa que o outro a valoriza e não quer perdê-la.

Mas como saber se o seu ciúme não está extrapolando os limites da normalidade? Vamos descobrir juntos.

#1 Faça a distinção entre ciúme e paranoia

O ciúme moderado pode até ser um tempero na relação de qualquer casal. Já a paranoia é um veneno, e dos mais perigosos.

Ligar constantemente para uma pessoa durante todo o dia, por exemplo, é um sinal de paranoia. O ciumento – aquele no seu grau excessivo – acha que essa “preocupação” é um sinal de amor e nem se dá conta de que pode estar atrapalhando e muito a vida do companheiro.

A outra pessoa acaba não tendo a oportunidade de se concentrar no seu trabalho ou estudos. Acontecem casos de pessoas que perdem seus empregos simplesmente porque a chefia se deu conta de que o rendimento do profissional estava baixo por conta das constantes ligações ou mensagens de WhatsApp.

Querer saber todos os passos que o parceiro dá não é amor, é obsessão e insegurança.

#2 Descubra se você realmente confia no seu parceiro

Aqui cabe uma pergunta simples: Se você não confia na pessoa que escolheu para se relacionar, então por que permanece nessa condição?

Ainda que haja laços matrimonias, nada os prende para toda a eternidade. Quando há uma desconfiança muito grande, ou caso a pessoa esteja dando provas concretas de que não é leal e confiável, basta sugerir a separação. O que não podemos é continuar insistindo em algo que muito provavelmente só vai nos trazer aborrecimentos e tristezas.

Mesmo que seu companheiro tenha um passado que te faz ter ciúme e desconfiar, se você sente que ele realmente quer ter um relacionamento evolutivo com você, dê um voto de confiança e não julgue-o pelo seu passado.

Se você tem convicções de que não há possibilidade de confiar na pessoa que você ama, o melhor é se afastar e deixar cada um seguir o seu caminho.

Se nada funcionar, é preciso refletir se está com a pessoa certa, pois se não houver compatibilidade de valores e visão de vida, é praticamente impossível ter confiança.

Lembre-se, nem todos sapos viram príncipes, as vezes precisamos ter a maturidade de desistir de causas perdidas.

Nosso último recurso é sair de uma relação que não nos faz bem, para abrir espaço para um novo relacionamento mais saudável com outra pessoa.

Caso você ache que ainda é possível resgatar a confiança entre vocês, confira as dicas para trabalhar o pilar da confiança nesse artigo.

#3 Resolva sua dependência e imaturidade emocional

Ciúme excessivo é apenas um sintoma de dependência e imaturidade emocional: lide com isso!

A dependência emocional pode ser comparada a um vício. É uma compensação de um vazio interior ou feridas emocionais, e se a pessoa não busca se autoconhecer e resolver essas questões interiores, acaba sufocando o outro na tentativa de fugir de enfrentar suas sombras e carências.

É normal ter uma dependência nos primeiros 2 ciclos do amor evolutivo, onde o casal se isola em sua bolha.

Cada casal vai ter que encontrar sua maneira de criar espaço e tempo individual para cada um poder viver sua individualidade, além de buscarem juntos uma vida social e novidades para não se fecharem em uma bolha.

Você deve se perguntar: Eu me conheço de verdade e vivo minha individualidade de forma autêntica ou vivo para ser aceito e agradar o outro?

A resposta disso pode incentivar você explorar mais sua própria vida e se descobrir, pois não adianta se perder para ter um relacionamento.

Além dessas dicas, recomendo a leitura complementar do livro “Amar ou depender?” do terapeuta Walter Riso, ele aborda profundamente a questão da dependência afetiva e dá dicas e maneiras de manter uma relação saudável nesse aspecto.

#4 Respeite a liberdade alheia

Esse é um dos pontos que mais tem prejudicado os relacionamentos atuais. Em tempos de WhatsApp, todas as mensagens que trocamos com nossos amigos e familiares ficam registrados nos nossos telefones celulares.

Alguns acham que se o companheiro não tem outra pessoa, se não tem nada a esconder, deve informar a senha do aparelho para que o cônjuge possa verificar o conteúdo das mensagens.

O que acontece é que aqui a gente esbarra em um dos bens mais preciosos do ser humano: a liberdade. A pessoa pode ser fiel, não ter nada a esconder e ainda assim querer esse direito resguardado.

Toda relação deve ter como objetivo desenvolver a autonomia e liberdade compartilhada, pois o indivíduo deve crescer junto com a relação, e não desaparecer.

Pessoas imaturas emocionalmente tendem a querer dominar e controlar o outro, o que é um veneno mortal para qualquer relação. Quanto mais medo de perder e mais se tenta dominar e controlar o outro, maior a chance dele te deixar.

Boicotar o crescimento e criatividade do parceiro é a estratégia preferida das pessoas inseguras, e isso não é sinal de força, e sim de uma grande fraqueza e imaturidade emocional.

Quem disse que para ter um relacionamento profundo é preciso se aprisionar e se isolar? Rompa esse padrão doentio que o ideal romântico da sociedade incentiva.

#5 Perceba que ninguém é dono de ninguém

É isso mesmo. Temos que ter a consciência de que ninguém é dono de ninguém. Um companheiro não é uma propriedade, é uma pessoa que escolhemos – e que também nos escolheu – para compartilhar alegrias, tristezas, vitórias e derrotas. E em uma relação harmônica o ciúme não tem vez.

Essas pessoas queridas não são objetos: são seres humanos e devem ser tratados como tal.

Aproveite e compartilhe os bons momentos com seu companheiro, mas tenha a consciência que ele tem vida própria e deve ter seu tempo e espaço investir no seu próprio desenvolvimento.

Quando alguém se anula para evitar o ciúme, o relacionamento não é sustentável e está a meio caminho de terminar. Fique atento.

Comece agora mesmo a se conscientizar

Eu sei que não é fácil mudar o nosso comportamento, mas quando realmente queremos que algo dê certo, a gente consegue forças para fazer coisas que a gente nem desconfiava que era capaz de fazer. O importante é ter esses 5 pontos em mente e se comprometer para corrigir os nossos erros.

 

Deixe aqui seus comentários, sua opinião é muito importante:
Silvano Ozyrys

Autor Silvano Ozyrys

Escritor, Coach, Psicoterapeuta Corporal e estudante de Psicologia, preparando o lançamento do seu primeiro livro “Amor Evolutivo – Expansão da Consciência do Amor na Nova Era” em 2017. Silvano Ozyrys é um entusiasta pelo desenvolvimento pessoal e evolução espiritual humana, tem formação em diversas técnicas de autoconhecimento e desenvolvimento pessoal, buscando sempre abordagens integrais e holísticas.

Mais posts de Silvano Ozyrys

Deixe uma Resposta